Dinheiro! Traz qualidade de vida? Está relacionado com felicidade? E com a saúde? do corpo e emocional?

Para iniciar o tema vou abordar primeiramente uma definição de dinheiro, felicidade e saúde.
O dinheiro é um meio utilizado para a troca de bens. Um bem é definido pela economia como tudo que tem utilidade e que pode trazer a satisfação de uma necessidade.
A felicidade é um estado de uma consciência plenamente satisfeita. Tem a ver com satisfação, contentamento e bem-estar.
Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas de ausência de doenças.
As três definições trazem características em comum: satisfação e bem estar.
O que acontece é que a relação com o dinheiro tem base na forma como você foi educado e em como você cresceu ouvindo sobre ele ao longo da vida. Por exemplo:
  • Dinheiro não traz felicidade!
  • Você tem que escolher entre ser rico ou ser feliz!
  • Dinheiro é sujo!
  • Ter muito dinheiro é pecado!
  • Dinheiro te transforma em uma pessoa ruim!

Essas frases são exemplos de pensamentos negativos que se transformam em crenças limitantes, ou seja, podem contribuir, e muito, para que não haja satisfação e bem estar na vida.

Se você é uma pessoa que cresceu com essas crenças limitantes sobre o dinheiro, saiba que na prática ter dinheiro te proporciona qualidade de vida e momentos de felicidade.

Mas para alcançar esse resultado se torna necessário planejamento e estar emocionalmente equilibrado, porque existem muitas coisas que não estão relacionadas ao dinheiro e que trazem felicidade e bem estar, mas que, se você estiver vivendo uma vida em que lhe falta qualidade, esses momentos poderão deixar de ser prazerosos, pois a tendência será carregar somente sentimentos negativos como tristeza, ansiedade, impaciência, irritabilidade, insônia, esquecimentos, e principalmente, insatisfação.

Como mudar isso?

Com planejamento financeiro e resinificando suas crenças limitante. Entenda, não estamos falando aqui que você tem que se matar de trabalhar para ganhar dinheiro, afinal muitas pessoas fazem isso e ficam sem tempo de ter momentos de lazer com sua família e amigos, resultando em má qualidade de vida, ou seja, adoecem e se afastam das pessoas que lhe são importantes.

A premissa básica é: não importa o quanto você ganha, importa o quanto você gasta. O seu padrão atual deve estar de acordo com esse equilíbrio. Por isso faça uma reflexão e se pergunte qual é a imagem que eu tenho sobre dinheiro, o que penso e como me relaciono com ele?

E você? O que pensa sobe o assunto?

Escrito por:
Fabiane Moraes de Siqueira
Psicóloga e Terapeuta de Família e Casal
 
Acompanhe também:

Links redes sociais: https://linktr.ee/fabianemsiqueira