Você se percebe uma pessoa ansiosa? já notou quantas pessoas você conhece que são ansiosas?  Tenho certeza que a resposta seja sim, porque a ansiedade faz parte do mundo humano e geralmente vem acompanhada de insegurança, medo e nervosismo.


O momento atual que estamos vivendo está contribuindo cada vez mais para o não controle de nossa ansiedade, porque ela também está relacionada a um aumento de auto cobrança exigida pela sociedade do consumo, ou seja, exigências internas e externas frente a demanda de bens e serviços disponíveis e que contribuem para cobranças como: eu tenho que fazer, eu tenho que cumprir, eu tenho que cobrar e assim por diante..

Não existe uma pessoa no mundo que não apresente ansiedade em algum momento da vida, porque a ansiedade está relacionada ao modo como a pessoa encontra recursos internos para lidar com as diversidades de seu cotidiano: que envolve relacionamentos, trabalho, família e diversas decisões que precisa tomar.

É um sentimento que provoca tensão e desconforto em relação a alguma situação de perigo, de desconhecimento e de estranhamento.  É considerada normal quando a ansiedade aumenta e em um curto prazo de tempo ela se dissipa. O problema da ansiedade é quando ela aumenta e não diminui mais. Quando se passa dias, meses, anos com ela sempre elevada e intermitente, o que contribui para a pessoa adoecer física e emocionalmente.

Sintomas como: tensão muscular, tremedeiras, palpitações, fadiga, problemas de concentração, insônia, medo, suor, sensação de impotência, sentimento de que algo sempre vai acontecer são indícios que quando a pessoa não consegue mais lidar pode levar a algo mais grave como desenvolver um transtorno de ansiedade, depressão, uso de álcool e drogas e até mesmo medicamentos em excesso.

Como controlar?

Quando já está instalada e interferindo nas atividades diárias e desenvolvendo um grau de sofrimento intenso, a ajuda precisa ser com processo terapêutico e psiquiátrico para identificar e compreender os comportamentos que contribuíram para a ansiedade, além de aprender a desenvolver outras formas de comportamento para o enfrentamento.

Quando não aprofundada alguns exercícios e mudança de comportamentos podem ajudar, tais como:

1 – Aprender a respirar e dedicar um tempo para respiração, tentando dissipar pensamentos e preocupações. A meditação e yoga podem ser recursos que ajudem nesse processo, além de ajudar a ter um sono melhor, já que muitos casos de ansiedade apresentam um quadro de insônia.

2 – Não fazer uso de bebidas, drogas e cigarro. Todos esses elementos acentuam os sintomas da ansiedade.

3 – Evitar pensamentos negativos e praticar atividades físicas e boa alimentação.

Exercite essas dicas e vai descobrir que essa é a chave de ouro para uma vida melhor e livre de ansiedades, pois você estará exercitando saúde para o seu corpo e para a sua mente.

Quer saber uma maneira de mudar, se fortalecer e obter sucesso na vida? clique no link: http://bit.ly/visionmedesenvolvimentopessoal

Escrito por:
Fabiane Moraes de Siqueira
Psicóloga e Terapeuta de Família e Casal
 
Acompanhe também:

Links redes sociais: https://linktr.ee/fabianemsiqueira