Nosso modo de ser na vida adulta é reflexo do que aprendemos na infância. A personalidade de uma pessoa é desenvolvida nos primeiros anos de vida. Por isso, segue abaixo 5 lições que você deveria ter aprendido ainda criança para se tornar uma pessoa mais saudável emocionalmente.

Não romper relacionamentos

Quando nos envolvemos em uma discussão, desenvolvemos sentimentos de raiva, angústia e medo que resulta em mágoas não resolvidas. Esses sentimentos contribuem para comportamentos reativos a ponto de levar ao rompimento da relação.

Algumas pessoas acreditam que sua vida será melhor sem a presença da pessoa por quem nutre sentimentos negativos.

Esse comportamento acompanha a pessoa na vida adulta, contribuindo muito para inabilidade em resolver conflitos e situações difíceis.

Expressar o que pensa e sente sem achar que vai magoar quem ama

Muitas pessoas deixam de dizer o que pensam e sentem por medo de magoar a pessoa que ama. Esse modo de agir coloca a pessoa em situações que não gostaria de estar e resulta em sentimento de tristeza e arrependimentos.

Outro comportamento que pode surgir é fazer o que não se quer para se sentir aceito e aprovado na relação ou em um grupo específico.

Ser honesto e integro com seus princípios fará com que seus relacionamentos sejam mais verdadeiros e que você se sinta muito mais de bem consigo mesmo.

Aprender a dizer não

A capacidade de dizer não deve começar na infância e ser estendida a vida adulta. Não conseguir dizer “NÃO” pode ser uma consequência da dificuldade em se dizer o que pensa e sente, conforme abordado no item anterior. Porém é importante ressaltar que dizer não deve ser realizado de forma honesta e educada, ou seja, não está relacionado a invenção de desculpas e falas grosseiras e ríspidas, além de saber diferenciar os momentos de também dizer sim!

Ter tolerância à frustração

Não ter medo de errar deveria ser um processo natural para as pessoas. Porém vivemos em uma sociedade que nos passa algumas informações distorcidas, como: cobrar perfeição o tempo inteiro, ofertar algo que compense uma tristeza ou fracasso, tomar uma medicação para passar a dor, entre outros. Essas soluções distorcidas dificultam o crescimento emocional da criança e não ensina que os obstáculos podem ser formas de nos tornar mais fortes.

Para aprender a ter tolerância à frustração é importante muita conversa e explicação de que nem tudo sairá como esperado, e que poderemos tentar novamente de uma nova forma. Esse processo ensina a pessoa a ser mais resiliente.

Não desconsiderar o que o outro diz 

Aprender a respeitar o que a outra pessoa fala, mesmo não concordando com ela transforma “TUDO” na vida de uma pessoa. Infelizmente na prática grande parte da população não segue essa orientação. É muito comum nas conversas aparecerem falas como: “não concordo com você”, “não é isso não”, “você está errado”, “você não sabe o que está falando”, e assim por diante.

Quando a pessoa considera o outro, ela não nega a sua fala e se coloca com frases como: “compreendo o que diz e gostaria de acrescentar uma outra visão” ou “vou complementar um outro ponto de vista”, e assim por diante.

Agir dessa forma contribui para: aprendizado de uma comunicação mais funcional, respeito a forma como o outro pensa e se coloca no mundo e relacionamentos mais saudáveis

 

Muitas vezes não desenvolvemos esses comportamentos por não saber a importância de ensiná-los. Muitos pais também não ensinam porque não aprenderam. Ou não ensinam porque tem medo de perder o filho e se rende as chantagens emocionais para não brigar ou colocar de castigo.

Agora que você já sabe, busque se aprofundar na compreensão de suas emoções e ressignificar sua história de vida para entender como elas impactam suas decisões!

Seguir essas dicas te ajudará a fazer escolhas mais assertivas e também a não passar para seu filho suas dívidas emocionais.

 

Escrito por:

Fabiane Moraes de Siqueira

Psicóloga e Terapeuta de Família e Casal

Acompanhe também:

youtube.com/fabianesiqueira

Links redes sociais: https://linktr.ee/fabianemsiqueira