Você sabia que grande parte da população não tem propósito de vida? Que a maioria das pessoas levantam cedo, saem para trabalhar em uma atividade que não gostam, esperam ansiosamente para que o dia acabe, e quando não estão envolvidas com o que compreendem como “obrigações” elas dedicam horas em atividades que envolvem as redes sociais, filmes e televisão?


Um dos motivos que leva uma pessoa a fazer o que não gosta é acreditar que não está pronta para colocar em prática o que aprendeu.

Muitas pessoas passam anos estudando e colocando metas de concretização de ações em um futuro não definido e não planejado. Futuro este que é adiado a cada sentimento ou sensação de não capacidade para fazer o diferente, por não acreditar em si próprio e em suas potencialidades.

Parte desse “não acreditar em si mesmo” é construído pelas relações que estabelecemos, principalmente em família. Recebemos heranças familiares em formas de valores e crenças que contribuem para a maneira como nos colocamos no mundo.

Por exemplo, quantas vezes ouvimos que precisamos trabalhar com carteira assinada, pois esta é uma forma de sentir segurança? E que o dinheiro estará garantido para gerenciar contas, casa e família?

Essa mensagem reforça que as opções que temos para garantir o dinheiro é vendendo horas para um empregador e viver sensação de bem-estar e prazer nos poucos momentos que sobra após essa obrigação. A maioria trabalha com serviços que não gosta e permite que a rotina direcione sua vida com muitas insatisfações.

A questão principal não é se você “vende ou não” as suas horas, mas sim com “o que e como você se sente” com o que se disponibiliza a fazer.

Propósito de vida é o que oferta sentido para o seu viver, é o que te tira do automático e que te incentiva a acordar e produzir todos dos dias. 

Viver uma vida sem significados e sem sentido contribui para alimentar sentimento de tristeza, mágoa, raiva e frustração por não compreender o porquê dos seus resultados não serem como você desejava. A ausência de um propósito pode levar uma pessoa a desenvolver depressão e outros transtornos mentais.

Pessoas bem-sucedidas sabem o que querem, o que gostam, o que as motivam, o que lhes dá prazer e o que querem fazer. Elas apresentam medos, dúvidas, preocupações, temores, e mesmo assim não permitem que esses sentimentos as paralisem. Elas agem, vão em busca e produzem formas de sentir bem-estar e qualidade de vida fazendo o que gostam sem prejudicar outras pessoas.

Escrito por:

Fabiane Moraes de Siqueira
Psicóloga e Palestrante
 
Acompanhe também: