Você sabia que a traição é responsabilidade das duas partes e que não existe vítima e culpado?
A traição é uma quebra de contrato ou de acordos prévios entre duas ou mais pessoas. Muitas vezes resulta em sentimento de decepção, mágoa, raiva e tristeza.

Mas qual é o comportamento que pode estar presente na relação e que pode contribuir para a entrada de uma terceira pessoa na relação?

Vários são os motivos que levam uma pessoa a trair. As mais clássicas são curiosidade e desejo de autoafirmação.
Na curiosidade a pessoa busca muitas vezes por novidade, saber como é estar com outra pessoa. Isso ocorre quando alguém está muito tempo no mesmo relacionamento e a relação caiu na rotina.
Na autoafirmação a pessoa tem o interesse de saber se ainda é desejado por alguém, pois não se sente mais assim em seu relacionamento. Existem ainda outros motivos que podem levar a pessoa a trair: carência, vingança e monotonia.
Então você pode estar se perguntando: Ok, entendo tudo isso, mas nada justifica alguém trair. Onde fica o respeito? Onde ficam os acordos que fizemos? E a fidelidade? E a quebra de contrato? Quem traiu não percebe que machuca? Não percebe que faz com que o outro se sinta a pior pessoa?
Sim, a traição contribui para a quebra de confiança e para a construção de muitos sentimentos negativos. A minha resposta a esses questionamentos:
“Nada se justifica, mas tudo se explica!”
Não se deve de fato isentar essa pessoa da responsabilidade que teve ao trair, afinal antes de realizar o “ato” de inserir uma terceira pessoa na relação existem vários outros caminhos para resolver o distanciamento. Desta forma não se justifica o “ato de trair”, mas se explicam as motivações inconscientes que levaram a pessoa a essa ação. E neste caso há responsabilidade também por parte de quem foi traído.
Isso mesmo, há motivações inconscientes que levam ao resultado de uma traição e esse processo envolve a responsabilidade do quanto cada um está investindo na relação. Desta forma cito abaixo alguns exemplos de comportamentos que uma pessoa apresenta na relação, que distancia a pessoa que ama e que contribui para que haja a traição:

Quando o casal há um bom tempo não diz o que pensa e sente em relação ao que vivem. Isso contribui para se distanciarem um do outro

Quando uma das partes entende que não recebe a atenção que gostaria. Esse sentimento também contribui para que se afaste da pessoa que ama, por alimentar sentimentos de ressentimento, mágoa e tristeza.

Quando uma das partes se torna investigador ininterrupto: investiga celular, e-mails, mensagens, faz ligações constantes como forma de controlar a outra pessoa. Esses comportamentos distanciam a outra pessoa que compreende que não há confiança na relação. Muitas vezes o parceiro não demonstra sinais de que está traindo, mas a pessoa que tem esse comportamento acessa memórias de eventos anteriores e transfere seus conteúdos mal resolvidos para o parceiro.

Quando uma das partes ainda não descobriu o que a satisfaz em sua própria vida. Isso mesmo, quando não se conhece suficientemente bem ela trava uma disputa interna em que se questiona se o que vive é realmente o que quer, mesmo quando o relacionamento “parece” estar bem. Nesse caso também está presente a falta de diálogo e até mesmo carência afetiva.

Quando você não elogia ou  não ressalta as qualidades da pessoa que ama. Você vive alimentado tanta tristeza e insatisfações, que se esquece de valorizar as qualidades que essa pessoa tem. O perigo nessa ação é que uma pessoa de fora pode fazer isso e ativar a sensação de valorização por parte de quem se sente menos desejado e valorizado.

Então resumindo, o que você não deve fazer para evitar ser traído: não falar o que pensa e sente, se afastar da pessoa que ama, sem ela nem saber porque está com raiva, mágoa e ressentimentos, ser investigador de algo que não existe, mas que az parte de sua história e inseguranças criadas antes de estar com a pessoa que ama, depositar no outro suas insatisfações por não se conhecer o suficiente para saber lidar com suas emoções, não elogiar ou ressaltar as qualidades da pessoa que ama.
E uma dica especial: quando você deixa de investir na relação e se entrega para a rotina, você com certeza vai reforçar alguns dos comportamentos já citados. Desta forma procure pensar como você se coloca na relação com a pessoa que você ama. Você apresenta comportamentos que aproxima ou que afasta?
Comente abaixo o que pensa sobre traição.
Escrito por:
Fabiane Moraes de Siqueira
Psicóloga e Palestrante
Acompanhe também:
Instagran: @fabianemsiqueira